O movimento da vida

 

O desenho que as nuvens

rabiscaram no céu
ainda há pouco não é
o mesmo deste instante.
A borboleta que passeava entre as flores
acaba de pousar numa delas.
O passarinho que estava no galho
da árvore, agorinha, já voou.
 
No seu próprio ritmo,
cada pedaço de vida do planeta inspirou
e expirou nesses últimos segundos.
 
Pessoas nasceram.
Pessoas morreram.
Meu coração bombeou sangue.
Suas pálpebras se movimentaram,
durante o tempo dessas frases.
Vida é movimento.
 
(Ana Jácomo)
Anúncios

Exterioriza

 

 

Hoje, me fala de você. Dos momentos em que a vida lhe doeu tanto que você achou que não iria aguentar. Fala das músicas que compõem a sua trilha sonora. Dos poemas que você poderia ter escrito, de tanto que traduzem a sua alma. Senta perto de mim e mesmo que estejamos rodeados por buzinas, gente apressada, perigos iminentes, faz de conta que a gente está conversando no quintal de casa, descascando uma laranja, os pés descalços, sem nenhum compromisso chato à nossa espera. A gente já brincou tanto de faz-de-conta quando era criança, onde foi que a gente esqueceu como se chega a esse lugar de inocência? Fala da lua que você admirou outra noite dessas, no céu. Da borboleta que lhe chamou à atenção por tanta beleza, abraçada a alguma flor, como se existisse apenas aquele abraço. Diz se quando você acorda ainda ouve passarinhos, mesmo que não possa identificar de onde vem o canto. Diz se a sua mãe cantava para fazer você dormir….

 
(Ana Jácomo)

Pedaços

 

  Encontrar o amor é mágico. É reencontrar pequenas partes nossas que foram perdidas pelo caminho. É achar pedacinhos que desconhecíamos. É descoberta, chegada, estranhamento, partida. A gente fica meio atordoado com novidades que chegam a todo instante. Dá uma sensação de paz. E uma certa desconfiança: mereço tudo isso? Encontrar o amor é alívio. É ter a certeza que os dias não serão mais solitários. É saber que no começo, no meio e no fim vai ter alguém ao seu lado. Não um alguém qualquer, mas o seu amor. Aquele que vai estar ao seu lado até o último capítulo. Por mais longos que sejam os intervalos comerciais.

 

 (Clarissa Corrêa)